Palavra do Bispo

Sal da Terra e Luz do Mundo: Seguidores e Testemunhas de Jesus

Autor: Dom Frei José Ubiratan Lopes OFMCap

Dom José Ubiratan Lopes (OFMCap)

Bispo da Diocese de Itaguaí/RJ

Queridos irmãos e queridas irmãs,

Jesus nos faz um apelo para que sejamos “Sal da Terra e Luz do Mundo”. Todos nós, cristãos, devemos ser sal e luz nos ambientes de nossas convivências. Jesus ensina que não podemos esconder a cidade que é construída sobre o monte, pois ela é visível para todos os que passam pela estrada (Mt 5, 14 – 15).

Jesus afirma que o sal é para dar sabor e se o sal ficar insosso, não serve para mais nada; senão para ser jogado fora e pisado pelos homens. (Mt 5,13). O sal tem duas finalidades, a de conservar o alimento, assim como faziam os antigos, quando não existia geladeira. Ainda hoje alguns alimentos são conservados pelo sal. Também tem a finalidade de dar sabor ao alimento. O sal não fica visível na comida, mas sentimos o seu sabor.

Que comparação bonita Jesus faz. Somos chamados a sermos sal e luz. A luz não é acesa para ser colocada debaixo de uma vasilha ou debaixo da mesa, mas deve ser acesa e colocada no candeeiro, em lugar de destaque, para que ilumine todo ambiente. Assim também devemos ser, Cristãos, com nossa vida, com nosso exemplo, com nossas atitudes. Devemos ser luz! Devemos deve ser Sal! Devemos anunciar Jesus Cristo! Devemos anunciar a Palavra de Deus!

Queridos irmãos e queridas irmãs, todos temos a vocação de seguir Jesus e dEle sermos Discípulos Missionários. Seguir Jesus, mas também anunciar sua Palavra. A Palavra de Deus pede que tenhamos confiança em Jesus Cristo e nas verdades que a Bíblia nos ensina e que a Igreja nos transmite. Somos chamados testemunhar a nossa fé, sendo sal e luz com nossas vidas, com nossas atitudes em todos os lugares de nossa convivência.

Papa Paulo VI, na Exortação Apostólica EvangeliiNuntiandi,sobre a evangelizaçãono mundo contemporâneo, diz:“O homem contemporâneo escuta com melhor boa vontade as testemunhas do que os mestres, (…)se escuta os mestres, é porque eles são testemunhas”. Se os homens acreditam nos Mestres é porque antes, eles foram testemunhas. Aquilo que ensinamos, precisamos testemunhar com as atitudes em nossas vidas. Antes de ensinar, precisamos testemunhar.

Sendo testemunhas, tornamo-nos sal para dar sabor e luz que ilumina. O Profeta Isaías explica como devemos ser luz: “…se destruíres teus instrumentos de opressão, e deixares os hábitos autoritários e a linguagem maldosa; se acolheres de coração aberto o indigente e prestares todo socorro ao necessitado, nascerá nas trevas a tua luz e tua vida obscura será como o meio-dia” (Is 58,9b – 14).

São Paulo também nos ensina sobre testemunhar Jesus com a vida: “Julguei não dever saber coisa alguma entre vós, senão Jesus Cristo, e Jesus Cristo crucificado. A minha palavra e a minha pregação longe estavam da eloquência persuasiva da sabedoria; eram, antes, uma demonstração do Espírito e do poder divino, para que vossa fé não se baseasse na sabedoria dos homens, mas no poder de Deus” (1 Cor 2, 4 – 5).

Jesus pede que sejamos pessoas de fé, mas também pessoas de testemunho. Não podemos abafar a nossa vida cristã. Ela deve ser translúcida. Uma vida que transmita a Luz de Jesus. Nossa vida deve ser exemplo. Ao testemunhar Jesus, não podemos procurar a nossa própria glória. Muitas vezes fazemos as boas obras, solidarizamo-nos e ajudamos, mas pretendemos que nosso nome apareça. Dessa forma, não buscamos o bem do outro e o testemunho de fé, mas a nossa própria vaidade. As nossas boas obras devem ser vistas por Nosso Pai que está no céu. O nosso testemunho não é para o “nosso eu”, mas para a Glória de Deus. Tudo que o fizermos, devemos fazer em Louvor a Jesus Cristo e para o bem dos nossos irmãos. Este é o verdadeiro testemunho e a nossa luz brilhará para sempre! Seremos como o sal que dá sabor ao alimento e como a luz que ilumina e dissipa as trevas. Tudo deve ser para a Honra e Glória de Nosso Senhor Jesus Cristo.

A nossa cultura tem a tendência de dividir a palavra do exemplo.  Somos tentados a distanciar vida e fé. Vida e Fé não podem ser separadas. Fé não pode ser destacada da vida. A vivência Cristã deve ser parte de nosso cotidiano e por isso não podemos ensinar uma coisa e viver outra. Não podemos dizer que acreditamos em Jesus Cristo e em seus ensinamentos se no dia-a-dia as nossas atitudes são contrárias e incompatíveis. Jesus Cristo dá para todos nós a orientação de sermos sal da terra e Luz do mundo. Somos sal e somos luz à medida que trazemos a fé para nossa vida, para as nossas atitudes, para os nosso cotidiano. Podemos pensar que não temos condição de resolver tudo, mas Deus não pede de nós o impossível. Deus pede de nós o possível. Deus pede aquilo que podemos realizar por sermos pessoas de Fé. Não podemos nos omitir.Sejamos caridosos!

Anunciemos Jesus Crucificado e tenhamos, como São Paulo, a sede de anunciar Jesus. Atendamos ao pedido de Jesus de sermos Sal e Luz do Mundo. Jesus é a Grande Luz do mundo, mas precisamos deixar que a luz de Jesus, que brilha em nós, brilhe em todos, brilhe no mundo através de nosso testemunho.

Com minhas Bênçãos.

Dom José Ubiratan Lopes (OFMCap)

Bispo da Diocese de Itaguaí/RJ

 

 

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.requerido

*

* *